Guia completo sobre como fazer a limpeza de caixa de água

A água limpa é muito importante para a manutenção das condições de higiene e saúde das pessoas. Além de chegar limpa até o registro, a água deve ser armazenada corretamente, em reservatórios que recebam a manutenção adequada. Um dos procedimentos para que a água continue própria para consumo é a realização da limpeza de caixa d’água.

Por mais que pareça um procedimento simples, na verdade, estamos diante de um trabalho que exige técnica correta e responsabilidade. Problemas como o uso de produtos inadequados, limpeza ineficiente e erros de execução podem causar graves problemas, como a contaminação da água, trazendo graves prejuízos às pessoas e ao meio ambiente.

Para que você entenda melhor a relevância da limpeza de caixa d’água, preparamos este guia completo sobre o assunto. Acompanhe os tópicos seguintes e entenda como tudo isso se relaciona à vida, saúde e segurança de todos!

Como funciona a limpeza de caixa de água?

Você sabia que o acesso à água potável e ao serviço de saneamento básico é um dos direitos humanos reconhecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU)? Esse tópico é tão importante que a redução pela metade do número de pessoas sem acesso à água potável foi eleito como um dois oito itens dos objetivos de desenvolvimento para o milênio.

Nesse contexto, entender como garantir que a água limpa que chega da rua permaneça assim se torna uma missão ainda mais importante, certo?

Os procedimentos para a limpeza de caixa d’água envolvem uma série de etapas. Veja mais sobre elas a seguir.

Interromper o fluxo de água

Para que seja possível a entrada dos trabalhadores na caixa d’água para executar o serviço de limpeza, é importante que o reservatório seja esvaziado. Para que isso aconteça, o registro deve ser fechado. Se não for possível interromper o fluxo de água dessa forma, também é possível amarrar a boia instalada dentro do reservatório, de forma que a caixa pare de encher.

Se você quiser economizar água, é importante programar a limpeza com antecedência e fechar o registro, para que a água seja consumida antes da limpeza. Caso ainda sobre água no reservatório, é possível esvaziá-lo e usar o conteúdo para atividades como a limpeza do chão, rega de plantas, entre outros.

Deixar uma pequena quantidade de água na caixa

A água do reservatório deve ser consumida ou removida até que sobre, mais ou menos, dez centímetros de água dentro da caixa. Esse líquido residual será usado no processo de higienização da caixa d’água.

Se a água for consumida além do limite, basta ligar o registro ou desamarrar a boia por alguns instantes. Rapidamente a caixa atingirá o nível necessário para a realização do serviço.

Lavagem da caixa d’água

A equipe responsável pela limpeza de caixa d’água deve seguir os procedimentos básicos a seguir:

  • tampar a saída de água da caixa com um pano limpo ou algum material apropriado, para que a sujeira removida das paredes da caixa d’água não vá para o encanamento;
  • realizar a limpeza da caixa, utilizando escovas, buchas e outras técnicas de remoção mecânica da sujeira, como o hidrojateamento, sem usar sabão, outros produtos químicos ou abrasivos;
  • fazer a remoção de toda a sujeira da caixa, sem despejar a água pela tubulação;
  • com o reservatório ainda tampado, encher a caixa novamente, até o nível dos 10 centímetros.

Como sanitizar a caixa depois da limpeza?

Depois que a lavagem é concluída, é hora de garantir a desinfecção do reservatório. Para isso, o prestador de serviços utilizará um produto químico sanitizante (normalmente uma solução de hipoclorito de sódio, conhecido água sanitária, numa concentração de 2,5% de cloro).

Para que a caixa seja devidamente desinfectada, os profissionais calcularão o volume de água, de acordo com o tamanho da caixa e o nível preenchido após a lavagem. Sem a dosagem correta de cloro, há risco de que a sanitização não seja feita corretamente, ou então que se use produto em excesso, com potencial de toxicidade.

Os profissionais agitarão a solução de cloro, aplicando o líquido em todas as paredes da caixa, inclusive na parte de dentro da tampa, por quatro vezes, em intervalos de meia hora. Somente após esse procedimento a caixa d’água estará devidamente desinfectada.

Como a solução de cloro é desinfetante, ela será despejada pela tubulação. Depois das aplicações nas paredes, a caixa deve ser desobstruída. O líquido desinfetante deve ser despejado pelo encanamento, com acionamento das descargas e torneiras do imóvel, até que todo o líquido seja derramado na rede. Depois da higienização a caixa pode ser preenchida novamente e está pronta para uso.

De quanto em quanto tempo deve ser feita?

De acordo com as normas técnicas, a caixa d’água precisa de limpeza semestral. A sujeira que se acumula na caixa pode ser causada tanto pelo que vem na água (argila, areia, algas), quanto por contaminações por problemas de vedação ou nas tubulações. Por isso, a revisão e manutenção frequente do sistema de armazenamento de água é uma medida essencial.

Além do respeito ao prazo máximo de seis meses, é importante buscar pelo serviço sempre que alguma das situações abaixo for constatada:

  • notificação, pelas autoridades ou pelos usuários do sistema, de que há chances de contaminação da água;
  • se ocorrer problemas com a vedação, impermeabilização ou fissuras no reservatório;
  • caso haja notícia da entrada de objetos, animais ou pessoas na caixa d’água, por qualquer motivo;
  • se cair sujeira de qualquer natureza dentro do reservatório, como folhas de plantas, lama, lodo, poeira, entre outros;
  • se percebida qualquer alteração no aspecto da água (cor, odor ou sabor).

Uma observação importante quanto à programação do serviço é a relação entre chuva e a limpeza de caixa d’água. Sempre que possível, a limpeza deve ocorrer antes dos períodos chuvosos, para evitar dificuldades com a realização de reparos e a sobrecarga no sistema hidráulico. É possível fazer a limpeza durante a chuva, mas o serviço se torna um pouco mais complexo.

A manutenção dos sistemas hidráulicos de residências, condomínios e empresas deve ser administrada com cuidado. A realização da limpeza de caixa d’água e caixa de gordura deve ser programada na periodicidade correta, para garantir a saúde de todos e o bom funcionamento dos sistemas.

Quais os riscos de não limpar?

Os riscos de não fazer a limpeza e impermeabilização da caixa d’água são muito grandes. Não compensa ficar sem fazer o procedimento.

Em primeiro lugar, os maiores riscos são para a saúde dos usuários da água. A água é fonte de vida para todos os seres do planeta, inclusive aqueles microrganismos que são nocivos aos seres humanos. A falta de limpeza da caixa pode facilitar a proliferação de uma série de doenças, tais como:

  • amebíase: doença causada por amebas (Entamoeba histolytica), que contaminam a água e causam sintomas como febre, dores abdominais, diarreia grave, muitas vezes com sangue. A amebíase é altamente incapacitante e pode causar mortes;
  • cólera: infecção do intestino delgado causada por bactérias (Vibrio cholerae). Os principais sintomas são diarreia líquida, vômitos e câimbras. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que, todos os anos, a cólera cause até 142 mil mortes no mundo;
  • leptospirose: doença bacteriana que afeta animais e seres humanos, causada por bactérias do gênero Leptospira. É conhecida em diversas localidades como a doença dos ratos, mas também pode ser transmitida por outros animais contaminados. As pessoas contraem a doença pela água em razão da diluição da urina de animais doentes. A contaminação causa febre alta, dores de cabeça, calafrios, olhos e pele amarelada, dor abdominal, diarreia e erupções cutâneas. Se não for rapidamente tratada, tem grande potencial de causar danos permanentes a órgãos, meningite e pode ser fatal;
  • giardíase: doença intestinal causada por um protozoário (Giardia lamblia), também chamada de lambliose. Ela causa diarreia crônica com cheiro forte, fraqueza e dor abdominal. Se a pessoa doente for uma criança, pode morrer devido à perda de vitaminas e minerais ocasionada pela doença;
  • hepatite A: é uma doença do fígado causada pelo vírus VHA, que contamina a água. Gera febre, mal-estar, fadiga, dores abdominais, dor de cabeça e diarreia, além de pele e olhos amarelados, fezes de cor clara e urina de cor escura;
  • esquistossomose: doença causada por platelmintos (Schistossoma mansoni), popularmente conhecida por barriga d’água, por causar aumento do fígado e do baço quando não tratada a tempo. Causa diarreias, vermelhidão e coceira na pele, febre, fraqueza, náuseas e vômitos;
  • ascaridíase: causada pelos parasitas Ascaris lumbricoides, conhecidos como lombrigas, que ocupam o intestino e outras partes do corpo humano, caso aconteça o espalhamento das larvas. Pode causar diversos sintomas, como febre, dor abdominal, diarreia, náuseas, bronquite, pneumonias e até mesmo convulsões;
  • febre tifóide: é uma infecção bacteriana, causada pela Salmonella typhi, que causa sintomas como febre alta, vômitos, dores abdominais, prisão de ventre ou diarreoa, além de causar perda de peso e manchas na pele;
  • toxoplasmose: é uma infecção causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, que pode infectar animais variados e seres humanos, tendo os gatos e demais felinos como hospedeiros definitivos, ou seja, os agentes que completam o ciclo reprodutivo do protozoário. Em seres humanos, a doença pode ser assintomática, mas se a pessoa tiver problemas imunológicos pode ter complicações graves, com a propagação para órgãos vitais, causando insuficiências, danos neurológicos, cegueira, surdez e outras complicações;
  • dengue, Chikungunya e Zika: além das doenças tradicionalmente causadas pela água contaminada, a caixa d’água descoberta, ou com poças de água na parte externa, pode causar a proliferação dos mosquitos Aedes aegypti, que causam as doenças virais que podem levar a problemas de desenvolvimento fetal, hemorragias e até mesmo a morte.

Os síndicos de condomínio e administradores de empresas são considerados responsáveis por ações e omissões que coloquem em risco a vida, saúde e segurança das pessoas. Por isso, ao deixar de fazer a manutenção correta das caixas d’água, esses profissionais se arriscam em sofrer punições pessoais por sua conduta, o que certamente não compensa o adiamento do serviço.

Além de todas as doenças causadas pela falta de limpeza de caixa d’água, também é importante ressaltar que a falta de documentação comprobatória nos condomínios e empresas pode gerar multas. A vigilância sanitária e todos os órgãos de controle e fiscalização, seja federal, estadual ou municipais, estão habilitados a conferir a regularidade das limpezas e aplicar as punições a quem não cumpre as recomendações de higienização dos reservatórios de água.

Quais os cuidados para não prejudicar a saúde?

Para que a limpeza e manutenção de caixa d’água seja feita de forma segura, é importante observar uma série de cuidados previstos em leis e normas técnicas. Confira mais na sequência.

Serviço profissional

A limpeza da caixa d’água é um trabalho muito sério. Por isso, deve ser feito por quem tem preparação profissional para o serviço.

Os profissionais treinados para limpeza de caixa d’água garantem o uso de técnicas adequadas, evitando desperdício de água, riscos à saúde ou danos ao meio ambiente. Eles utilizam os materiais certos, além de comparecer ao local uniformizados, usando todos os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) exigidos por lei. Com isso, os problemas causados por má conduta profissional são eliminados, tornando o serviço mais rápido e eficaz.

Produtos adequados

A sanitização da caixa d’água só pode ser garantida se a empresa utilizar os produtos corretos, na concentração indicada. A solução de cloro não pode ser forte demais, senão é perigosa para a saúde e pode ser corrosiva. Também não pode ser muito fraca, senão não higieniza corretamente.

É importante lembrar que a limpeza afeta todo o sistema, desde a caixa d’água até os encanamentos. Então, o uso dos produtos da forma correta é muito importante, para que tudo corra de forma segura e que atenda aos propósitos do serviço.

Testes e laudos

A apresentação da prova da eficácia do serviço de limpeza de caixa d’água é importante tanto para atestar a segurança da água, quanto para a garantia dos serviços. A confirmação da potabilidade da água é um elemento indispensável para quem quer avalizar a segurança do procedimento.

Verificação das instalações

Outro ponto muito relevante na garantia dos benefícios para a saúde na limpeza da caixa d’água é a checagem das instalações. Profissionais habilitados e responsáveis não concluem o trabalho sem, antes, confirmar que está tudo certo no local.

Para que a limpeza seja realmente eficaz, devem ser conferidas todas as estruturas, garantindo que não há vazamentos, fissuras ou problemas de impermeabilização. Se algo for identificado, deve ser corrigido antes da conclusão da limpeza.

Troca de materiais com risco de contaminação

As caixas d’água mais antigas podem ter problemas com a impermeabilização, porosidade que acumula resíduos ou então ser feitas com materiais ultrapassados. Esses pontos devem ser observados durante as manutenções, para que se programe os reparos e trocas que garantem maior segurança.

Sempre que possível, deve-se programar a substituição das caixas que contenham amianto. Esfregar as paredes das caixas e aplicar produtos corrosivos neste material gera pequenos riscos de prejuízos à saúde, no longo prazo. A substância tem potencial cancerígeno e está com a comercialização proibida, diante das novas descobertas científicas sobre seus riscos.

A substituição da caixa de amianto, segundo especialistas, não é uma medida urgente, mas deve ser pensada por quem deseja ter mais tranquilidade. Se o material se partir ou despedaçar, pode se tornar perigoso para quem fizer a manipulação.

O que diz a legislação?

A limpeza de caixa de água em São Paulo respeita uma série de regras, em vários níveis regulatórios. A fiscalização e criação de regras, nesse caso, parte de todas as esferas do Poder Público, na chamada competência compartilhada. Podemos destacar:

É comum que síndicos e administradores mencionem a Lei Municipal 10.770/1989 em São Paulo como base legal para limpeza de caixa d’água, mas essa norma foi revogada pelo Código Sanitário de São Paulo, identificado acima. Por isso, ao procurar por limpeza de caixa de água em São Paulo, não perca de vista a necessidade de utilizar informações atualizadas e profissionais que sigam as normas vigentes, para evitar problemas.

Em São Paulo, a legislação diz que as empresas e condomínios são obrigadas a fazer a limpeza com profissionais devidamente cadastrados para o serviço. O prestador de serviços deve ser regular junto aos órgãos de controle, além de ter em sua equipe os responsáveis técnicos e providenciar a análise laboratorial da água. Sem a observância desses requisitos, a limpeza de caixa d’água é considerada irregular.

Quais os benefícios de manter a caixa sempre limpa?

Quem faz a limpeza da caixa d’água dentro do prazo e nas situações previstas na legislação colhe diversos benefícios. Destacamos os principais a seguir!

Mais saúde

A limpeza periódica da caixa d’água previne a proliferação de doenças, evitando problemas de saúde e eliminando riscos de contaminação. O uso dos produtos certos, na dosagem correta, evita danos à saúde dos trabalhadores e dos usuários da rede de água.

Água de boa qualidade

Uma caixa d’água com a manutenção correta garante que a água continue guardada com a mesma qualidade que chegou. Assim, será possível perceber alterações na qualidade do fornecimento e problemas na rede externa, com a solicitação dos reparos pela SABESP, se necessário.

Previne danos e entupimentos

O acúmulo excessivo de resíduos e sujeiras na caixa d’água pode causar danos aos encanamentos, entupimentos e estragos nas instalações. A manutenção preventiva é sempre mais eficiente e mais barata do que os reparos pela falta de cuidado.

Mais previsibilidade

Quando as manutenções e limpezas são programadas periodicamente, o serviço é mais barato e previsível. Assim, você consegue organizar o orçamento para fazer os serviços, sem precisar gastar muito mais com atendimentos emergenciais e serviços mais complexos.

Regularidade

Quem faz todos os serviços de limpeza e manutenção da caixa d’água assegura a regularidade da empresa e do condomínio. Assim, além de evitar multas e outras sanções legais, os riscos jurídicos causados pela possibilidade de contaminação da água são reduzidos.

Por que contratar uma empresa especializada?

A realização de limpeza de caixa de água em São Paulo em condomínios e empresas só pode ser feita por empresas devidamente registradas. Isso porque cabe às empresas especializadas fornecer laudo de potabilidade da água, de acordo com as normas da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB). Para isso, a empresa deve contar com responsável técnico, que deve ser um químico devidamente registrado.

A Desentupidora Fortaleza segue todas as normas técnicas, oferecendo o serviço de limpeza de caixa d’água para residências, condomínios e empresas de todos os portes, na cidade de São Paulo, Grande São Paulo e em várias localidades do interior e litoral do estado.

Além de fazer limpeza de caixa de água em São Paulo, a Fortaleza também é capacitada para oferecer serviços de manutenção, como impermeabilização, dedetização e desentupimentos. Assim, você garante que todos os serviços essenciais para a conservação da qualidade da água e das tubulações sejam feitos.

Além dos serviços certificados, com laudos e documentação técnica, a Fortaleza também oferece a todos os seus clientes as seguintes vantagens:

  • atendimento 24 horas, com central 0800;
  • orçamento sem compromisso;
  • ampla frota, com equipamentos modernos e tecnologia de ponta;
  • profissionais uniformizados, que seguem as normas técnicas e são experientes no assunto;
  • cumprimento de toda a legislação sanitária e ambiental;
  • serviços com prazo de garantia;
  • preços acessíveis e facilidades para pagamento.

A realização da limpeza de caixa d’água é um assunto muito sério, que merece atenção e cuidado. Garantir a qualidade da água utilizada pelas pessoas é um trabalho que exige responsabilidade, garantia no serviço e atuação dentro das normas técnicas. A Fortaleza Desentupidora atua há mais de 20 anos no ramo, contando com profissionais habilitados, capazes de cuidar das demandas de clientes em residências, condomínios e empresas.

Depois de entender melhor a importância da limpeza de caixa d’água e por que é importante contratar uma empresa legalizada, que tal entrar em contato com a Fortaleza? Estamos prontos para atendimento a qualquer hora do dia e da noite!


Fortaleza Desentupidora

Desentupidora 24h em São Paulo.
R. Javaés, 626/630 São Paulo, SP
Tel: 0800-3333-3000

Atendimento premiado

Vencedora por 8 anos consecutivos do Prêmio Internacional Quality Brasil em atendimento.

Garantia de qualidade

Todos os nossos serviços oferecem prazo de garantia.

Sustentabilidade

Respeitamos o meio ambiente e nossos procedimentos incluem apenas descarte de esgoto em estabelecimentos credenciados.