Desentupimento de galerias pluviais: tudo o que você precisa saber!

O desentupimento das galerias pluviais deve ser uma preocupação não apenas do poder público, mas da população em geral. Mesmo que o sistema de escoamento da água da chuva não esteja visível, ele é fundamental para a segurança e bem-estar da população, tanto quanto a rede de esgoto.

Essas redes subterrâneas têm papéis distintos e pedem cuidados específicos. Seu uso incorreto pode trazer vários problemas para a população e meio ambiente. Nas épocas de chuva, a situação se agrava, pois o entupimento das galerias pluviais pode causar alagamentos e outros problemas, devido à impossibilidade de vazão da água da chuva.

Outro problema grave é quando as redes de águas pluviais e de esgoto se comunicam, nesse caso, o risco para a população é de surgimento de doenças e contaminação ambiental.

Para tratar desse assunto tão importante, reunimos as informações mais relevantes em um post completo. Fique a par do assunto e saiba como contribuir para a boa manutenção das galerias de escoamento da água pluvial!

1. O que são as galerias pluviais?

As galerias pluviais são um complexo de tubulações subterrâneas que têm como função captar, transportar e drenar a água proveniente das chuvas no trajeto da área urbana até os rios, córregos ou canais — em resumo, até os cursos d’água. A instalação e manutenção desses canais é de responsabilidade do poder público municipal.

Devido ao processo de urbanização causado pela criação das cidades e pela modernização das vias públicas, vários materiais impermeáveis passam a ocupar as ruas: asfalto e concreto são os principais.

Assim, a água que antes era absorvida pela chuva agora não encontra passagem. Por isso, no planejamento das cidades, são criados caminhos de escoamento para as galerias pluviais. Dessa forma, a água é escoada de forma adequada, evitando enchentes e alagamentos.

Essa água que vem da chuva e se movimenta pelas tubulações das galerias pluviais não recebe nenhum tratamento específico para retirada de impurezas. Bom, se é água da chuva, o melhor é que não receba contaminação por químicos, pois deve seguir para os corpos d’água. Por isso, é extremamente importante que ela não se misture com dejetos humanos e nem resíduos de esgotos, para não contaminar a natureza nem poluir mananciais.

O contrário — escoar a água da chuva para os esgotos — também é inadequado: o volume de água da chuva é maior que o esperado na rede de esgoto e dilui o conteúdo, prejudicando o tratamento que ele recebe nas Estações de Tratamento de Esgoto (ETE’s). Isso torna o processo menos eficiente.

Fora o fato de que as redes de esgoto não são feitas para comportar tanta água, por isso são menores. Se ficarem muito cheias, podem sofrer rompimento nas suas tubulações e causar vazamento dos esgotos para a rua ou para dentro das casas, trazendo inúmeros problemas.

Dessa forma, fica claro que o objetivo principal das galerias pluviais é dar vazão à água da chuva, evitando alagamentos, inundações e mesmo deslizamentos de terra.

2. Como funciona o sistema de escoamento pluvial?

O poder público planeja a instalação do sistema de escoamento pluvial conforme define a ocupação urbana das cidades. Para fazer esse planejamento, ela considera diferentes pontos, a começar pelo aspecto social, controlando as áreas nas quais existe maior aglomeração populacional, pois serão as primeiras a receber impermeabilização.

Também são analisados aspectos legais, institucionais, tecnológicos e ambientais, sendo este último um dos mais importantes, pois define como as águas serão encaminhadas aos rios, mares e bacias. Essa escolha deve ser feita de forma calculada e consciente, para não causar a deterioração dos mananciais e a posterior redução de água para a população.

No sistema de drenagem pluvial, temos diversos elementos, que incluem:

  • a pavimentação as ruas;
  • as guias e sarjetas;
  • as bocas de lobo;
  • as galerias de drenagem;
  • os sistemas de detenção e infiltração nos lotes e pavimentos;
  • as trincheiras e valas.

Neste texto, damos especial atenção às galerias, pois a ênfase da nossa conversa está nos perigos do entupimento das galerias pluviais, que ocorre justamente nessa parte do sistema de escoamento.

Como é feita a construção das galerias pluviais?

O sistema de galerias de escoamento pluvial é construído ainda na fase de planejamento das vias. Quando o espaço para as casas é pensado, também são projetados todos os caminhos a serem criados para a passagem das águas da chuva.

Inicialmente, são abertas as valas para instalação dos tubos de concreto que darão passagem às águas pluviais. É feita a escavação das valas de acordo com as medidas dos tubos e, claro, respeitando as normas municipais de pavimentação, pois todo o sistema deve estar em equilíbrio, para evitar afundamentos e para dar estabilidade ao sistema.

Para se ter uma ideia, se uma vala tiver que ser maior que o tamanho permitido, a empreiteira terá que justificar essa necessidade e aguardar a aprovação dos órgãos responsáveis, antes de dar continuidade à obra. Para conceder a liberação, serão feitos estudos e cálculos, avaliando se é seguro fazer essa alteração.

Em seguida, a empresa avalia se os tubos e demais elementos não sofreram avarias durante o transporte, para garantir que serão instalados em perfeito estado. Depois, eles serão transportados até o local final, sendo alinhados no decorrer da vala, com todo cuidado, para manter sua integridade.

3. O que é o entupimento das galerias pluviais?

O entupimento das galerias é o processo de obstrução dessas valas. De nada adianta todo o planejamento do poder público, o investimento e os cuidados na instalação, se a manutenção e a conscientização pública não apoiarem o funcionamento correto do sistema.

Pode parecer que galerias tão grandes, com um diâmetro considerável sejam impossíveis de entupir, mas — acredite — até hoje inundações acontecem ou são agravadas devido ao grande volume de lixo e detritos acumulados nesses tubos, ao ponto de impedir completamente a passagem da água.

É exatamente esse o conceito do entupimento das galerias pluviais: a obstrução das vias de escoamento que chega ao ponto de impedir a passagem da água, fazendo com que ela se acumule em trechos do sistema e até retorne à superfície, causando vazamentos em esgotos, enchentes, inundações e até rompimentos de alguns pontos do sistema de escoamento.

4. Por que as galerias pluviais ficam entupidas?

As galerias pluviais ficam entupidas por dois motivos: pela comunicação indevida com a rede de esgoto e pela entrada de lixo através dos canais de acesso das vias públicas (sarjetas, bocas de lobo etc.).

Nas casas, a maior parte do esgoto comum é constituída por água, mas eventualmente resíduos sólidos dos mais diversos tipos acabam sendo carregados pelos encanamentos. Isso causa o entupimento, que pode acarretar a interligação indevida com os sistemas de drenagem de água pluvial.

Por isso, é extremamente importante descartar o lixo corretamente, sem jogar restos de comida na pia e outras práticas nocivas de contaminação que acabam por obstruir os esgotos, como jogar lixo nos ralos e nos vasos sanitários.

Já nas ruas, o lixo comum é levado pela chuva até as bocas de lobo. São os mais diversos detritos, desde papelão, garrafas PET, sacolas descartáveis, bitucas de cigarro até itens impensáveis (e que muitas vezes não são biodegradáveis).

Uma parte dessa sujeira se acumula nas grades das bocas de lobo, impedindo a passagem das águas. Outra tem destinação pior: consegue passar pelas entradas e se acumula nas valas de escoamento, entupindo as galerias. Em resumo, as principais causas de entupimento das galerias pluviais, temos:

  • o descarte irregular de materiais, como plásticos, madeiras e papelão;
  • uma saída única para o esgoto doméstico e o esgoto pluvial;
  • a aglomeração de lixo em terrenos baldios;
  • o acúmulo de entulhos nas proximidades dos rios;
  • o mau hábito de jogar lixo na rua, como latinhas de refrigerante, sacos plásticos etc.

5. Quais dificuldades podem ser encontradas no desentupimento?

O desentupimento das galerias pluviais pode ser muito complexo. Primeiro, porque não se pode simplesmente realizar escavações, já que o sistema é subterrâneo e passa por baixo de ruas, sistemas pavimentados e toda uma infraestrutura prévia e cuidadosamente construída.

Outro problema é que o sistema de galerias é complexo e longo, e frequentemente o entupimento não ocorre em apenas um ponto. É preciso realizar o processo em toda a extensão das valas, para garantir que as águas pluviais tenham passagem livre, de ponta a ponta.

Além disso, imagine que, para que haja uma obstrução que chegue ao ponto de impedir a passagem da água em valas de dimensões tão grandes, o volume de entulho deve ser muito grande e estar muito comprimido.

Isso acontece porque o processo de entupimento é lento, ele não acontece da noite para o dia, mas vai evoluindo silenciosamente. O lixo vai se acumulando no interior dos tubos e pressionado contra as paredes internas conforme haja passagem de água. Quando mais lixo é trazido, se sobrepõe ao que já está lá e forma novas camadas, até que o bloqueio aconteça por completo.

Por isso, realizar o desentupimento dessas galerias é um processo complicado e perigoso, pois o uso de ferramentas inadequadas pode provocar rompimentos dos tubos. Além disso, não é aconselhável lançar mão de qualquer tipo de produto químico: vale lembrar que as galerias pluviais se encaminham aos corpos d’água e qualquer produto aplicado nelas vai se tornar um contaminante para os mananciais, seus leitos, animais que lá vivem e para toda a flora ao redor.

6. Quais os riscos do entupimento das galerias pluviais?

Uma galeria pluvial que passe por entupimento, ainda que parcial, causa vários problemas e prejuízos para a população, tanto individualmente, nas suas residências, quanto na coletividade.

Alagamentos em áreas privadas ou públicas têm muitas vezes a mesma origem: folhas, galhos e detritos em geral que caem ou são jogados na rede de escoamento de águas pluviais.

Se essa rede não consegue drenar as águas da chuva de forma eficiente, a estrutura de sustentação dos edifícios pode ficar comprometida, pois há risco de encharcamento do solo e, por consequência, de abatimento da construção — que é a queda de muros ou paredes.

Esse problema seríssimo pode evoluir silenciosamente ao longo dos anos, durante períodos chuvosos, até um dia causarem uma grande e inesperada tragédia. Por isso, é fundamental se preocupar com a integridade da rede pluvial, cuidando de suas tubulações e mantendo-as limpas e desobstruídas.

Além disso, o alagamento das vias provoca outros inúmeros problemas. No trânsito, por exemplo, além dos congestionamentos, a situação traz riscos a motoristas e pedestres, sobretudo quando as galerias estão destampadas. Ao ficarem cobertas pelas águas, podem causar graves acidentes, pois se tornam verdadeiras armadilhas.

Outra consequência grave do entupimento são as possíveis enchentes e as doenças que elas ocasionam, ameaçando a saúde da população. Esse tipo de situação aumenta a ocorrência de doenças causadas por vetores como dengue, cólera, leptospirose etc. Além dos riscos e da queda da qualidade de vida da sociedade, o problema ainda aumenta os gastos públicos com saúde.

7. Como é feito o desentupimento das galerias pluviais?

O trabalho de limpeza e desentupimento do sistema de escoamento das águas pluviais tem as funções de prevenir e minimizar alagamentos. Isso porque, com o tempo, as pedras, terras e entulhos reduzem grandemente a capacidade de escoamento dessa rede de galerias.

A limpeza periódica tem a função de manter as galerias em bom estado, usando técnicas como hidrojateamento de alta pressão. Essa medida ajuda a manter a saúde e a qualidade de vida da população local, eliminando a proliferação de insetos e pragas urbanas capazes de provocar doenças.

8. Como o hidrojateamento funciona?

O hidrojateamento é uma tecnologia avançada usada na limpeza de fossas, dutos, silos industriais e tubulações. Ele utiliza jatos de água com alta pressão para remover sujeiras e retirar incrustações, obtendo a completa desobstrução dos tubos e encanamentos.

Como a água é lançada em alta velocidade e pressão, adquire uma potência muito grande, e isso permite realizar a retirada de todos os detritos, desde pequenos objetos até raízes de árvores que invadem os canos. Todos os tipos de incrustação, até as mais difíceis e antigas, são retirados no processo.

Mesmo usando tanta força na água, o hidrojateamento é completamente seguro para as estruturas, pois não usa produtos químicos. Assim, os riscos de danificar os canos são praticamente nulos.

Primeiramente, as galerias são inspecionadas com uma câmera para inspeção da situação. Em seguida, começa a parte de direcionamento da mangueira. O processo ocorre com uso de um caminhão, equipado com reservatório de água e bomba de alta pressão.

Os profissionais direcionam a mangueira para o local específico e dão início ao procedimento, aplicando jatos de água em alta velocidade, com uma pressão que pode variar entre 100 e 1000 kgf/cm². A força dessa aplicação desloca (e até destrói) os resíduos dentro da tubulação, liberando completamente as paredes internas das galerias.

A pressão a ser utilizada pode ser ajustada conforme a demanda, dependendo das peculiaridades de cada caso. Em canos de PVC de uma casa, por exemplo, que são menos resistentes, a força é menor. Já em encanamentos industriais ou na construção civil, os jatos precisam de maior potência, para remover produtos químicos ou resíduos de cimentos e detritos pesados.

O processo deve ser feito por equipes experientes e empresas legalizadas, com experiência na área e equipamentos adequados que incluem:

  • caminhão de hidrojato;
  • bomba de alta pressão;
  • carretel hidráulico;
  • mangueira de alta pressão.

Muitas vezes, o hidrojateamento só é solicitado em situações de extrema urgência, como de entupimentos graves que causam transbordamento de esgoto.

Para entender a gravidade da situação, um alagamento na cozinha ou no banheiro envolve muito mais do que danos materiais. Será necessário quebrar piso e azulejos para consertar canos, mas o pior é entrar em contato com a água contaminada por material orgânico, na qual pode haver bactérias, fungos e outros germes causadores de diversas doenças. Fora o fato de que isso atrairá insetos e pragas urbanas.

Quando se trata de desentupimento de galerias pluviais, a situação pode ser equiparável: a manutenção preventiva evita alagamentos, enchentes e danos maiores, que incluem também riscos de doenças à população, sobrecarga no sistema de saúde público e presença de indesejáveis pragas.

Por isso, é preciso ver o hidrojateamento não apenas como situação corretiva, mas como ação preventiva para evitar danos muito maiores no futuro.

9. Qual a importância e as vantagens do hidrojateamento?

Há inúmeras vantagens que tornam o hidrojateamento uma solução eficaz e muito importante no processo de desentupimento das galerias pluviais. Veja as principais a seguir!

Desobstrução das tubulações

Independentemente do tipo de superfície, o hidrojateamento apresenta uma solução eficiente, prática e rápida. Nenhum outro procedimento atualmente oferece os mesmos resultados no que diz respeito ao desentupimento de canos. Ele é eficaz e traz economia de recursos, além de prevenir contra problemas futuros, garantindo que as galerias de escoamento fiquem disponíveis e liberadas por mais tempo.

Preservação da estrutura das galerias

Regular a pressão e a velocidade do jato de água de acordo com as características de cada ambiente é essencial para preservar as características de cada tipo. Assim, o hidrojateamento não prejudica as estruturas. Como não são usados produtos químicos, ficam de fora ainda a corrosão, contaminação e ressecamento dos materiais.

Preservação ambiental

Somente água é utilizada no processo de desentupimento das galerias pluviais, mesmo que haja graxas, óleos e gorduras. Por se tratar de um recurso completamente natural, eliminamos completamente os impactos ao meio ambiente, pois nenhuma substância química é usada, evitando a contaminação da natureza.

Desentupimento preciso

Com um caminho longo de galerias pluviais, é fundamental ter um processo preciso, seguro, acessível e eficaz. Os resíduos precisam ser removidos de todos os pontos de entupimento, garantindo completa liberação da passagem de água, para eliminar qualquer risco de transbordamento.

Aplicabilidade diversa

O hidrojateamento não é eficiente apenas para desentupir galerias pluviais, mas serve para os mais diversos tipos de limpeza de tubulações, canos, bueiros, caixas de gordura, fossas e afins. Ele é altamente indicado para uso nos sistemas de esgoto, sendo ecologicamente muito mais eficiente e seguro que qualquer outro método.

Profissionalismo e qualidade

Esse serviço só pode ser feito por profissionais especializados, usando equipamentos modernos e específicos. Por isso, oferece garantia de resultados e de satisfação do cliente. Não é um tipo de procedimento que traga dúvidas na eficiência, pelo contrário: se mostra uma das melhores alternativas para todo tipo de desobstrução.

10. Como evitar o entupimento das galerias pluviais?

Por mais que a manutenção da rede de galerias pluviais seja papel do poder público municipal, os cuidados para evitar seu entupimento são responsabilidades de toda a sociedade: de cada um de nós. E não é algo difícil, longe da nossa realidade.

São pequenas atitudes do dia a dia que vão fazer uma grande diferença, evitando grandes tragédias, ocorrência de doenças, invasão de pragas e outros problemas decorrentes da obstrução dessas galerias.

Por exemplo, não usar o vaso sanitário como lixeira é um ponto importante. Os objetos inúteis devem ser jogados diretamente no lixo. Na cozinha, o óleo dos alimentos jamais deve ir para o ralo da pia. Dentro dos canos, ele acumula crostas e causa severos entupimentos. Além disso, retire os restos de comida de pratos e panelas antes de lavar a louça, para evitar que eles acabem causando entupimento de canos.

Na sua casa, mantenha uma saída adequada para a água da chuva, em vez de direcioná-la para a mesma saída do esgoto, para evitar que ele transborde.

Na rua, jamais descarte lixo fora dos locais apropriados. Isso é um crime ambiental e, vamos combinar, não é muito educado. Oriente as crianças próximas desde cedo a descartar corretamente o lixo. E, por falar nisso, pratique a coleta seletiva.

Uma latinha de refrigerante ou cerveja descartada na rua pode se tornar um bloqueio na rede de escoamento pluvial e contribuir para inundações e enchentes nas próximas chuvas. Quando se trata do saneamento de uma cidade, a infraestrutura é fundamental, mas o cidadão tem papel ativo no processo. Sem ele, nada funciona.

Destine corretamente seu lixo doméstico. De nada adianta ter redes de esgoto e drenagem pluvial bem separadas e distribuídas caso o caminho delas esteja cheio de embalagens, sacos plásticos, pacotes de comida vazios etc. O esgoto que não encontra passagem retorna e eclode em ralos nas casas e nas valas da cidade.

A melhoria do saneamento da cidade e a prevenção contra o entupimento das galerias pluviais dependem da disposição de todos para adotar boas práticas todos os dias. Comece prevenindo o entupimento de suas próprias redes de esgoto e evite jogar lixo na rua.

Agora, você já sabe como funciona o sistema de escoamento da água da chuva e conhece os riscos do entupimento das galerias pluviais. Também já tem fortes motivos para rever seus hábitos e cuidar da destinação do seu lixo, preservando seus esgotos, correto? E, como medida preventiva, lembrar que existe o hidrojateamento.

Você quer saber como ele funciona? Tem situações que quer resolver com hidrojateamento? Entre em contato conosco! Estamos disponíveis para esclarecer todas as suas dúvidas!


Fortaleza Desentupidora

Desentupidora 24h em São Paulo.
R. Javaés, 626/630 São Paulo, SP
Tel: 0800-3333-3000

Atendimento premiado

Vencedora por 8 anos consecutivos do Prêmio Internacional Quality Brasil em atendimento.

Garantia de qualidade

Todos os nossos serviços oferecem prazo de garantia.

Sustentabilidade

Respeitamos o meio ambiente e nossos procedimentos incluem apenas descarte de esgoto em estabelecimentos credenciados.